Critica e Review – Para todos os garotos que já amei 2: P.S. ainda amo você

Aqui está a Critica e Review – Para todos os garotos que já amei 2: P.S. ainda amo você – Em ‘ Para todos os garotos que já amei, Lara Jean Covey se depara com uma situação extremamente embaraçosa quando sua irmã mais nova envia suas cartas de amor. Essas foram as cartas escritas em diferentes momentos, em diferentes fases de sua vida. Ela nunca confessou nenhuma de suas paixões, mas lidou com seus sentimentos por elas através de cartas íntimas que eram apenas para ela. Isso foi até Kitty se deparar com eles e decidir fazer algo pela vida amorosa de sua irmã.

Relembrando o 1° filme

A princípio, parecia a pior coisa que já havia acontecido com Lara Jean, mas depois foi a melhor quando ela se encontrou com Peter Kavinsky. Depois de algumas falhas e hesitações, Lara Jean decidiu tentar com ele, e acabou feliz para sempre. Bem, na verdade não. Não terminou, e feliz para sempre é uma noção mais complicada do que a propagada por romances e sonhadores romances de Hollywood. ‘ Para todos os garotos que já amei 2 : P.S. ainda amo você ‘ leva Lara Jean na jornada que mostra a ela os perigos de se apaixonar. E também, há outra carta com a qual ela precisa lidar.

Critica e Review - Para todos os garotos que já amei 2: P.S. ainda amo você
Critica e Review – Para todos os garotos que já amei 2: P.S. ainda amo você

Agora que Lara Jean e Peter estão oficialmente em um relacionamento, é hora do primeiro encontro, do primeiro Valentine e, em algum momento, da primeira luta. Enquanto ela se diverte com o namorado, uma carta chega até ela. É uma resposta, de John Ambrose, para a carta que ela escrevera para ele aos onze anos. Ela se pergunta se deve responder a ele, mas antes que ela possa tomar uma decisão, ele volta à cidade. Ele gosta dela, e ela também gosta dele. Mas e Peter?

Critica e Review de Para todos os garotos que já amei 2 : P.S. ainda amo você

Existem tantos ângulos que os romances exploram. A história de uma garota conhece menino, personalidades contraditórias, relacionamentos passados ​​e contratos se transformando em relacionamentos reais – todos esses tropos foram usados ​​repetidamente. E, no entanto, sempre acabamos aqui, com uma tigela de sorvete (ou qual é o seu veneno) na realidade e um relacionamento sonhador na ficção. Filmes como ‘Para todos os garotos que já amei’ mostram exatamente por que o encanto de tais filmes nunca desaparece.

Se o primeiro filme foi sobre a realização de uma partida impossível, a sequência se concentra nos contrastes com os quais Lara Jean e Peter têm que fazer as pazes para manter o romance. Quando Kitty tenta atrelar seu pai com a vizinha, Lara Jean aconselha que ela não se intrometa, pois toda a ideia é impossível. Acontece que sua irmã é mais versada nos assuntos do coração. Em casa, Lara Jean interpreta mal a conexão entre o pai e Trina porque acredita que o pai ainda segue as mesmas regras. Com Peter, ela comete o mesmo erro e isso dá origem a uma falha no relacionamento deles.

A entrada de John Ambrose a faz aumentar essa rachadura até que ela se torne um abismo. Aqui vemos dois lados de Lara Jean, o que é uma grande expansão de sua personagem em comparação com a que conhecemos no filme anterior. Ela estava confiante antes, mas agora está confusa. O gosto dela por Peter gerou insegurança em seu coração, especialmente sobre o relacionamento dele com Gen, sua ex-namorada e sua ex-melhor amiga. Toda vez que ela está com ele, ela pensa mais no passado dele do que no presente.

O veredito de Para todos os garotos que já amei 2

Depois, a última carta que ela escreveu. Quando ela recebe uma resposta e se vê de perto com o assunto dessa carta, ela se vê entretendo outra possibilidade. Ela está confusa sobre seus sentimentos por essa nova pessoa, o que a deixa ainda mais confusa sobre seus sentimentos por Peter. Acrescente a isso as decepções, embora não intencionais, do namorado, o que lhe dá uma justificativa.

“Para todos os garotos: PS: ainda amo você” não usa o truque de um triângulo amoroso da mesma maneira que uma infinidade de outros filmes. Em vez de focar no fato de que o protagonista tem opções, ou por que um homem é melhor que o outro para ela, ele se concentra nos novos e complexos argumentos que Lara Jean tem que seguir. Não há nem uma questão de quem ela escolherá no final. Nós já sabemos a resposta. Mas como ela aprenderá com seus erros e crescerá além de suas inseguranças é o que faz esse filme valer a pena assistir.

Fora isso, os fãs recebem um tempo que vale a pena, pois Lara Jean é banhada de amor e esses encontros sonhadores com Peter. Ele diz as linhas que derreterão seu coração, e ela assa os bolos que você deseja que alguém faça para você. É o conto de fadas, embora com um pouco de realismo, que todo mundo quer. Por que mais eles teriam um octogenário que serve como anjo da guarda da heroína?

Avaliação: 3/5

Leia também:

+Vikings terá 7° temporada na Netflix ? Saiba Tudo

COMPARTILHAR