Netflix começa a levar tecnologia com som de cinema para a sua casa

754

A Netflix passa a oferecer conteúdo com a tecnologia de som Dolby Atmos. Okja, filme exclusivo do serviço de streaming, é o primeiro material disponibilizado com suporte ao padrão.

Com até 128 canais independentes de áudio, o sistema Atmos oferece ao usuário qualidade de som similar às disponíveis nas salas de cinema mais avançadas do mundo. Além disso, o padrão que foi desenvolvido inicialmente para cinemas de última geração e agora chega às TVs domésticas, permite que filmes contenham som mais rico, detalhado e cheio de nuances, que passam a ser perceptíveis graças à tecnologia de reprodução criada pela Dolby. A proposta é que o espectador tenha uma experiência tão imersiva que se sinta “dentro” do filme.

Netflix começa a levar tecnologia com som de cinema para a sua casa



Netflix começa a levar tecnologia com som de cinema para a sua casa. (Divulgação: Techtudo)
Como funciona

Dolby Atmos funciona por meio do mapeamento do sistema de som que o usuário possui, para tirar desta instalação o melhor proveito possível. Num sistema de 7.1 canais, por exemplo, o arranjo é fixo, de acordo com o posicionamento e quantidade de caixas de som disponíveis. Dessa maneira, a reprodução de som em 3D acaba distribuída pelos alto-falantes para criar o som imersivo, mesmo em instalações com uma menor quantidade de caixas, ou com distribuição horizontal e vertical. A proposta é de que o usuário experimente uma atmosfera realista, como se se houvesse objetos se movendo ao seu redor.

Na prática
Tecnologia da Dolby foi criada para salas de cinema de última geração (Foto: Divulgação/Dolby)

Para entender onde está o ganho do Dolby Atmos, basta imaginar uma cena de filme em um ambiente bem barulhento, como o centro movimentado de uma cidade. Usando o Atmos, os engenheiros de som do longa podem construir uma amostra muito rica desse ambiente, com uma série de ruídos e trilhas que aumentam a imersão de quem assiste — sons que vem de várias direções.

Para que você tenha a sensação de ouvir tudo em detalhes, do rangido de uma porta, passando pelo murmúrio de alguém caminhando ao fundo, uma buzina distante ou até mesmo ruídos dos carros pela rua, é preciso que o sistema de som tenha a habilidade de transmitir cada um desses sons na proporção correta. Aí entra o Dolby Atmos na sua casa, ou sala de cinema: pela distribuição inteligente do som a partir das caixas, o espectador tem a impressão de estar “envolvido” pelo som, não importa a posição ou distância que esteja dos alto-falantes.


Compatibilidade restrita

A ideia do Dolby Atmos é elevar a qualidade da reprodução de áudio, criando experiências mais imersivas (Foto: Divulgação/Dolby)

Além de ser necessário possuir um sistema de som que seja compatível, o Atmos na Netflix estará restrito, num primeiro momento, aos apps da plataforma para Xbox One (todos os modelos), Xbox One S ou TVs OLED 4K da linha 2017 da LG.

Em resumo, o Dolby Atmos na Netflix é bem restrito no momento: há apenas um filme com a tecnologia e, mesmo assim, você precisa de um Xbox One, ou uma TV OLED da LG para ter acesso ao som de cinema. Contudo, os próximos lançamentos com suporte ao Atmos serão: BLAME!, Death Note (25 de agosto), Bright (dezembro) e Wheelman, previsto para 2017.

Sem Atmos muda alguma coisa?

Seu aplicativo da Netflix, em qualquer dispositivo, continuará operando normalmente, reproduzindo som de acordo com o hardware que você possui.

O Dolby Atmos é, em certo sentido, o que a introdução do 4K significou para vídeo: ainda são poucos os conteúdos que podem ser encontrados com essa resolução no catálogo e, além disso, para poder assisti-los em Ultra HD, você precisa de uma tela com esse tipo de resolução.

Via Netflix, The Next Web, Dolby

COMPARTILHAR